Investimentos  >  Nova Subida da Serra

Nova Subida da Serra

 

 

 

A Nova Subida da Serra, em execução entre Duque de Caxias e Petrópolis, fará parte do trecho da BR-040 sob administração da Concer, cuja abrangência total vai do Rio de Janeiro a Juiz de Fora, compreendendo 180,4 quilômetros. O empreendimento, entre o km 102 (Caxias) e km 82 (Petrópolis), visa construir uma pista com traçado moderno e curvas menos sinuosas em substituição à atual subida da serra, aberta há quase um século.

 

O projeto executivo da Nova Subida da Serra foi aprovado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e recebeu do IBAMA as Licenças Ambiental Prévia e de Instalação. O trecho final será composto por um dos maiores túneis rodoviários do Brasil, com quase 5 mil metros de comprimento. O túnel é uma das características que garante ao projeto um menor impacto ambiental à fauna e flora da região. As obras foram iniciadas em 2013. 

 

 

BENEFÍCIOS DA NOVA PISTA

 


Redução do percurso para quem segue do Rio de Janeiro para Juiz de Fora;

 

Menor consumo de combustível;

 

Redução estimada de 8 mil toneladas de gás carbônico lançadas na atmosfera ao ano;

 

Separação do tráfego local do tráfego de longa distância;

 

Mudança da praça de pedágio do km 104 para 102, permitindo que comunidades de Xerém passem a ter uma ligação direta com o Centro de Caxias;

 

Abertura da ligação Bingen-Quitandinha, em Petrópolis;

 

Traçado menos sinuoso, com acostamentos em ambas as margens da pista;

 

Proposta da transformação de trecho da atual subida da serra em Estrada Parque, com possibilidade de geração de renda e emprego e fomento de atividades ligadas ao turismo ecológico;

 

Menor impacto ambiental para flora e fauna com construção de 1 túnel, 28 pontes e viadutos e 7 alargamentos de estruturas já existentes;

 

Maior preservação da fauna com abertura de passagens para animais silvestres.

 

Para mais informações, acesse www.novaserraconcer.com.br.

 

 

Fevereiro de 2016

 

 

Retomadas em janeiro deste ano, após as férias coletivas do Consórcio Nova Subida da Serra, as obras da NSS causam interdições totais e temporárias ao tráfego na pista de descida da serra, entre Petrópolis e Duque de Caxias. Diversos trechos estão sujeitos a interdições, que se estenderão até junho deste ano. As interdições são necessárias para o prosseguimento dos serviços de escavação e desmontes de rocha por meio de detonações de explosivos e de contenção de encostas.  Confira abaixo os trechos, sentidos e a programação de interdições, evitando assim transtornos em sua viagem. A Concer confirma cada operação com antecedência, de acordo com questões operacionais, climáticas e de segurança, pelo site www.novaserraconcer.com.br.

 

 

 

Outubro de 2015 


 


A Nova Subida da Serra (NSS) é a terceira obrade grande porte empreendida pela Concer para modernizar o trecho da BR-040 entreJuiz de Fora e o Rio de Janeiro. Os outros dois marcos foram a ampliação da rodovia em Duque deCaxias, ocorrida nos primeiros anos da Concessão, e a duplicação da pista simples que ligava Juiz deFora a Matias Barbosa, em Minas Gerais, em 2009. Iniciada em junho de 2013, a NSS, porém, é de longe o mais desafiador de todos os projetos já executados pela empresa, e sob vários aspectos: inúmeras interferências, como adutoras, tubulações de gás, redes elétricas e imóveis, estavam ou ainda estão no caminho das obras; a nova pista está sendo construída numa região de serra, com a rodovia em plena operação; o túnel que compõe o novo trecho será o maior do Brasil, com 4,6 quilômetros de extensão; e, por fim – e tão importante quanto as razões anteriores – estão os moradores das áreas afetadas pela obra e um rico patrimônio ambiental existente na região entre Duque de Caxias e Petrópolis (RJ).


A extensa porção de Mata Atlântica que cerca esse trecho da rodovia guarda uma biodiversidade incomparável e abriga unidades de conservação importantes, aspecto que eleva a responsabilidade da Concer em conduzir a obra com o maior zelo possível. Nas áreas de influência direta e indireta da obra existem o Parque Natural Municipal da Taquara, em Duque de Caxias, a Área de Proteção Ambiental de Petrópolis, a Reserva Biológica do Tinguá e a Reserva Biológica de Araras.

 

Em construção entre Duque de Caxias e Petrópolis (RJ), o novo trecho terá 20,7 quilômetros  de extensão, substituindo a atual subida da Rio-Petrópolis, em operação desde 1928 e já totalmente obsoleta. Além dos 24 programas ambientais (detalhados nas pgs. 4 e 5), a NSS conta com o maior túnel rodoviário do país. Seus quase 5 quilômetros de comprimento, escavados na Serra de Petrópolis, também reduzem o impacto da nova estrada sobre o meio ambiente, evitando que 20 hectares de área verde sejam suprimidos. A abertura do túnel – que já conta com mais de 2 quilômetros escavados – é o lote de maior complexidade da obra. Para garantir que tudo ocorra como planejado, as escavações são realizadas com as mais modernas técnicas de engenharia e segurança. O principal equipamento usado na abertura do túnel perfura o ponto certo da rocha com o auxílio de raio laser e um sistema de navegação automatizado. A rocha extraída das escavações é transformada em brita e aproveitada nas obras de pavimentação da nova pista.


O traçado, o raio de curvatura e o grau de inclinação da futura pista permitirão viagens mais seguras e rápidas, com menos consumo de combustíveis e desgaste de motores automotivos. Estimativa prevista no Plano Básico Ambiental da NSS indica que tais características farão com que 8 mil toneladas de gás carbônico deixem de ser lançadas anualmente na atmosfera pelo tráfego que atravessa a rodovia. 


Redução de impactos - Enquanto a NSS avança, uma série de ações garante a redução e compensação dos impactos sobre comunidades, usuários e a biodiversidade. Com o Programa de Controle de Processos Erosivos, a obra ocorre em paralelo a ações capazes de prevenir e corrigir eventuais problemas do gênero numa área de 200 metros a partir da faixa de domínio da rodovia. O Programa de Recuperação de Áreas Degradadas estabeleceu como meta apresentada ao Ibama 4 projetos de restauração florestal com espécies da Mata Atlântica que somam 13,16 hectares, além do monitoramento de 48 taludes com análise da vegetação predominante. 

 

Já o Programa de Compensação de Flora atua no Monumento Natural Pedra do Elefante, uma unidade de conservação municipal pertencente ao município de Petrópolis, onde a Concer já plantou 23.732 mudas numa área de 26,4 hectares, valendo-se de técnicas que garantem menor taxa de mortalidade entre as espécies utilizadas. Tais mudas são produzidas no Viveiro Florestal instalado no Centro de Biodiversidade que a empresa mantém numa de suas bases operacionais, na Serra de Petrópolis. Das 43.683 mudas contabilizadas no Viveiro até setembro passado, 18.551 foram utilizadas pelo Programa de Paisagismo da NSS. 

 

A qualidade da água de dois rios que cortam a região da obra – o Major Archer e o Canal Mato Grosso – é monitorada mensalmente em 16 pontos. Ao todo, o Programa de Monitoramento de Corpos Hídricos já realizou 896 coletas de amostras e 23.296 análises, sem constatar qualquer alteração fora dos limites estabelecidos. Entre Petrópolis e Duque de Caxias, 12 equipamentos chamados de Amostradores de Grandes Volumes (AGV) também controlam a qualidade do ar, com um total de 28 campanhas já realizadas até setembro deste ano, sem indicação de taxas de poluentes acima dos padrões normais. Os ruídos e vibrações causados pela obra são outro aspecto que conta com programa específico da Concer, que acompanha o comportamento de 52 pontos fixos e móveis espalhados pela área de influência da NSS, com 1.924 medições já feitas.

 

Janeiro de 2015


A Nova Subida da Serra (NSS) encerrará o ciclo de modernização iniciado no trecho de concessão da BR-040 há 20 anos pela Concer. Após sua conclusão, em 2016, o trecho substituirá a atual subida de serra da Rodovia Washington Luiz – em operação há quase 100 anos –, compondo o principal acesso a ligar o Rio de Janeiro a Minas Gerais. Dos 20,7 quilômetros de nova pista, 15 quilômetros constituem a duplicação da atual pista de descida da serra, de traçado mais contemporâneo. O trecho restante faz parte do túnel que está sendo escavado em Petrópolis.

Uma obra complexa, que ocorre em meio a uma rodovia em plena operação. O trecho sob intervenção recebe, em média, 20 mil veículos por dia. Em dezembro, o empreendimento completou 18 meses de execução. Nesse período, foram entregues 12 obras de artes especiais, entre pontes, viadutos e uma passagem inferior. Várias contenções também foram concluídas. E o trabalho não para. há 37 frentes de trabalho, entre outras obras de artes especiais, contenções de encostas e duplicação de pista.

Ao todo, 24 programas ambientais vinculados ao empreendimento também acumulam indicadores expressivos e ações de preservação que protegem a biodiversidade da região. 

 

Túnel - O maior túnel rodoviário do Brasil, que integra o projeto da Nova Subida da Serra e que está sendo aberto em Petrópolis com quase 5 quilômetros de comprimento, ganhou ritmo ainda mais acelerado neste início de 2015. Com a conclusão da galeria de serviço, uma abertura lateral com mais de 350 metros de extensão escavada a partir do km 85da rodovia, a obra passou a contar com 4 frentes simultâneas de escavação do túnel: uma no emboque (entrada), uma no desemboque (saída) e duas na galeria de serviço. Até dezembro passado, eram 3 frentes trabalhando na abertura do túnel. As novas frentes de escavação que atuam a partir da galeria de serviço vão avançar 2,2 quilômetros rocha adentro, cada uma seguindo em direção aos dois extremos do túnel.

O novo túnel é a parte mais complexa do projeto da NSS. Um processo que envolve a remoção de toneladas de rochas com uma rotina de detonação de explosivos e interdições na rodovia. Todo processo acontece em meio a uma área de preservação ambiental – e o respeito a biodiversidade é uma das prioridades do projeto da Nova Subida da Serra. O cuidado com a Mata Atlântica impõe desafios a engenheiros e geólogos. O solo é outro item que exige atenção. Na região, são encontradas todas as classes que vão da rocha à terra. Na área do emboque a escavação se dá na terra, o que exige cuidado por parte da equipe com procedimentos de segurança para evitar acidentes. Um exemplo, é a colocação de cambotas, espécie de anéis de aço que firmam o solo.

 

 

Dezembro de 2014


As obras da Nova Subida da Serra da BR-040, que compreendem a construção de uma pista com 20,7 quilômetros de extensão entre Duque de Caxias e Petrópolis (RJ), em substituição à atual subida da serra da rodovia Washington Luiz (aberta em 1928), completaram 18 meses em dezembro de 2014. Ao todo, desde o início do empreendimento, já foram concluídas a nova Praça de Pedágio de Duque de Caxias, no km 102, os novos acessos a Xerém (distrito de Duque de Caxias, RJ) e 11 das 32 obras de artes especiais previstas no projeto (entre novas estruturas e alargamento de conjuntos já existentes. Também estão em execução um extenso conjunto de obras de contenção. O lote mais complexo da Nova Subida da Serra é a escavação do maior túnel rodoviário do Brasil, com 4,6 quilômetros de comprimento e que está sendo aberto simultaneamente por quatro frentes de escavação, em Petrópolis. Todo empreendimento está orçado em R$ 1,1 bilhão aproximadamente. 

 

 

 

Julho de 2014


NOVA PRAÇA DE PEDÁGIO DE DUQUE DE CAXIAS ENTRA EM OPERAÇÃO 


O novo pedágio da BR-040, em Duque de Caxias, já está em pleno funcionamento. O início oficial da operação foi a zero hora do dia 18 de julho. A praça fica a dois quilômetros do antigo pedágio, mais precisamente no km 102, no distrito de Xerém. A estrutura faz parte das obras da Nova Subida da Serra, que prevê a duplicação da rodovia e a construção do maior túnel do país, com mais de 4,6 quilômetros.

O balanço dessas primeiras semanas de operação da nova praça é positivo. De acordo com Gabriel Radice, gerente de Operações da Concer, o fluxo está regular e os benefícios já podem ser notados. A nova praça está equipada com um sistema moderno de interface com o usuário, com a instalação de toda comunicação visual em painéis digitais.

Também foi ampliada a quantidade de cabines, tanto as manuais quanto as de cobrança automática. Dessa forma, o usuário otimiza o tempo na cobrança das tarifas. Hoje, o pedágio conta com 20 vias de pagamento. O complexo conta com uma galeria subterrânea, utilizada para o deslocamento das equipes de arrecadadores e a passagem de toda a rede de cabeamento.

A praça investe, ainda, no consumo consciente. São 680 placas de captação de energia solar. “O sistema foi instalado para atender todo o complexo do novo pedágio”, diz Gabriel. Além da praça, os coletores abastecem toda a parte administrativa do conjunto. O processo é uma fonte limpa e renovável de energia, o que é uma vantagem para o meio ambiente e saúde das pessoas, pois não há emissão de gases poluentes. A energia produzida pelo sistema da praça écapaz de abastecer o equivalente a 160 residências, cada uma com um consumo médio de 150kw/h por mês. Outra vantagem é a lâmpada de LED, utilizada em toda a construção. Seu uso garante uma economia suficiente para o abastecimento de outras 150 residências, também com o consumo médio de 150kw/h.


Concer inaugura novo acesso a Xerém, em Duque de Caxias

 

O novo sistema viário de Xerém, em operação parcial desde julho, já mostra seus benefícios ao tráfego da região. Na primeira quinzena, foram entregues cinco novas obras, incluindo vias, pontes e viadutos. Entre as principais mudanças sentidas pela comunidade do entorno, está a nova localização da praça de pedágio, transferida do km 104 para o km 102. “Com as alterações, as pessoas do distrito de Xerém trafegam pelo município de Caxias sem passar pelas vias de pagamento”, explica Alcimar Penna, gerente de Engenharia da Concer.

As melhorias fazem parte das obras da Nova Subida da Serra, trecho da BR-040 que liga Duque de Caxias a Petrópolis. Uma vez concluído todo o conjunto do sistema viário, as modificações impactarão positivamente também na separação do tráfego local da circulação dos veículos pesados,que normalmente percorrem longas distâncias. “O morador que convive com passagem de carretas e caminhões na porta de sua casa não sofrerá mais com esse problema a partir do término da obra. A rotina será desassociada do tráfego local”, diz Alcimar.

Os pedestres também ganharam com as mudanças. O novo viaduto de Xerém possui dois calçamentos que funcionam como travessia de pedestres. “A área foi pensada para atender o trânsito total, inclusive de pessoas”, finaliza o gerente de Engenharia da Concer. Novo viaduto de Xerém possui dois calçamentos que funcionam como travessia de pedestre 

 

 

 

Abril de 2014

 

 

Ponte sobre o rio Major Archer é a primeira estrutura entregue aos usuários da BR-040

 

Foram 90 dias de trabalho diário para a entrega da primeira ponte pertencente às obras da Nova Subida da Serra. Desde o final de janeiro deste ano a ponte sobre o rio Major Archer já recebe o tráfego de veículos da BR-040, normalmente. A ponte está localizada no Km 87,5 sentido Rio de Janeiro, tem trinta metros de comprimento e já faz parte do traçado final da Nova Subida da Serra. O trecho foi escolhido para ser entregue de forma prioritária. Quem explica é Alcimar Penna, gerente de Engenharia da Concer.

A nova ponte sobre o rio Major Archer está localizada próxima à área de escavações do emboque do novo túnel. Com ela em funcionamento, podemos desviar o fluxo de veículos para uma área mais afastada e garantir a segurança dos usuários da rodovia que trafegam naquele trecho durante o período de obras”.

Outro aspecto levado em consideração foi o deslocamento de máquinas, equipamentos e operários, que pode ser feito de forma mais ágil com o tráfego um pouco mais afastado. O benefício também é sentido pelos usuários de forma direta, já que interrupções parciais ou totais da pista passam a acontecer com menor frequência e interferindo menos na viagem.

 

 

Junho de 2013 


Estado, Concer e ANTT inauguram as obras da Nova Subida da Serra 

 

 

O vice-governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, o presidente da Concer, Pedro Jonsson, e o diretor geral da ANTT, Jorge Bastos, inauguraram na tarde de sexta-feira (14.06) as obras da Nova Subida da Serra da BR-040. A cerimônia, em terreno próximo às obras da futura praça de pedágio da rodovia, no km 102 da Rio-Juiz de Fora, em Duque de Caxias, reuniu prefeitos, deputados, vereadores, secretários de governo, representantes das polícias Rodoviária Federal e Militar, lideranças comunitárias e moradores. Como parte do evento, um antigo viaduto entre a pista de subida e descida da serra começou a ser demolido na área onde a Concer já constrói a nova praça de pedágio de Xerém, que substituirá a atual praça do km 104.


Após assistir um vídeo conceitual da Nova Subida da Serra, o vice-governador do Rio saudou a importância do projeto para a infraestrutura rodoviária do país. Pezão elogiou o empenho da presidente Dilma Rousseff e do diretor da ANTT, Jorge Bastos, em viabilizar o início das obras. Também destacou o papel de Pedro Jonsson, à frente da Concer, na concretização do empreendimento. “É muito difícil para um empresário fazer o investimento que você (Pedro Jonsson) fez aqui, com projeto executivo e licenciamento ambiental. Esse é um dia extraordinário, de muita alegria. Essa obra é emprego, é investimento e vai trazer mais empresas para cá.”, afirmou o vice-governador.


“Vencemos muitos obstáculos. Aqui nesse palanque estão as pessoas que há anos batalharam por esse projeto, para que ele virasse realidade. Tivemos ajuda da presidente Dilma e do Pezão, que muito se esforçou nesse projeto de modernização da rodovia”, afirmou o presidente da Concer. O diretor da ANTT, Jorge Bastos, afirmou que a Nova Subida da Serra é “uma vitória da população e de seus representantes em Brasília”.


A cerimônia também reuniu o prefeito de Petrópolis, Rubens Bomtempo, o deputado federal Washington Reis, o vice-prefeito de Duque de Caxias, Laury Villar, o secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes, o diretor de operações e de engenharia da Concer, Sergio Guimarães, além de prefeitos da Baixada Fluminense, representantes da ANTT no estado do Rio e demais autoridades. Bomtempo definiu a Nova Subida da Serra como um “projeto vencedor que trará ganhos para a população e futuras gerações”. Já Washington Reis classificou o lançamento da pedra fundamental do projeto como “momento histórico para Duque de Caxias”.


A Nova Subida da Serra está dividida em 5 lotes de obras e prevê a construção de uma pista com aproximadamente 20 quilômetros de extensão em substituição ao atual trecho de subida da Rio-Petrópolis, em operação há mais de 80 anos. Serão 15 quilômetros de duplicação da atual pista de descida – que apresenta traçado mais moderno – e outros 5 quilômetros que irão compor a extensão de um túnel rodoviário. Com a autorização para o início das obras pela ANTT, no primeiro semestre de 2013, Concer deslanchou as primeiras intervenções do chamado Lote 1, em Xerém, que inclui a transferência da praça de pedágio do km 104 para o km 102. Já os programas ambientais do projeto estão em andamento desde a obtenção da Licença de Instalação do empreendimento, em dezembro de 2011. Entre as ações ambientais, a Concer já fez o resgate de espécies vegetais, monitoramento e resgate de espécies da fauna, monitoramento de ruídos e vibrações na área do projeto, monitoramento da qualidade do ar e dos cursos d’água da região.

 

 

Maio de 2013


 

Concer inicia obras da Nova Subida da Serra da BR-040

 

 

 

Após receber autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a Concer deu inicio à implantação do Projeto da Nova Subida da Serra da BR-040. O projeto prevê a duplicação de 15 quilômetros do atual trecho de descida da serra e a construção de um túnel de aproximadamente 5 quilômetros, totalizando uma extensão de 20 quilômetros de nova pista.  Neste projeto serão implantadas 28 novas obras de artes especiais, entre pontes e viadutos, além de sete alargamentos de estruturas já existentes.


O projeto da Nova Subida da Serra está dividido em cinco lotes, conforme descrição a seguir:


Lote 1: Obras situadas em Duque de Caxias, entre os kms 103 e 97, compreendendo a implantação de uma nova praça de pedágio no km 102 (em substituição à atual praça localizada no km 104), a implantação do sistema viário de Xerém e Vila Bonança e vias marginais até a localidade do Aviário, que permitirão a separação do tráfego local do de longa distância, além de possibilitar o acesso direto de moradores de Xerém ao Centro de Duque de Caxias. Neste lote também está prevista a duplicação de trecho da atual pista de descida da serra.


Lote 2: Obras situadas entre os kms 97 e 87,5, em trecho compreendendo Duque de Caxias e Petrópolis, prevendo a duplicação do atual trecho da pista de descida da serra, com inclusão de intervenções de melhoria no traçado, além de construção e alargamento de obras de arte especiais.


Lote 3: Situado entre os kms 87,5 e 80, em Petrópolis, é constituído pela construção do túnel rodoviário com 4.640 metros de extensão.


Lote 4: Neste lote está prevista a construção do trecho final da Nova Subida da Serra e de sua ligação com a entrada de Petrópolis pela atual pista de subida no km 82, além de construção e alargamento de obras de artes especiais.


Lote 5: Nesta etapa está prevista a construção da ligação dos bairros Bingen e Quitandinha, em Petrópolis.


O projeto da Nova Subida da Serra representa um grande investimento para a infraestrutura de transportes do Brasil, já que a BR-040 opera como um importante corredor para o desenvolvimento econômico do país. 

 

 


 

 

 

 

 

2013 CONCER
Todos os direitos reservados.
Política de privacidade.
Central de Atendimento ao Usuário:
0800 282 0040

Atendimento a Deficientes Auditivos e de Fala:
0800 281 0041

  Polícia Rodoviária Federal:
191